Meu ambiente Emacs

Há alguns anos que o editor de texto Emacs me serve durante minha principal atividade, que é programar, e resolvi dedicar um post nesse blog para o Emacs e, em especial, meu uso com o Emacs.

Arquivos incovenientes

O Emacs tenta arduamente impedir que você perca qualquer modificação em qualquer de seus arquivos e um efeito colateral de tal funcionalidade é que vários arquivos de backup são criados por todos os lugares que você edita. Minha primeira modificação no Emacs foi evitar que tais arquivos fossem criados.

Visão “conservadora”

Antes do Emacs eu estava habituado a ferramentas com paradigmas muito diferentes (intuitivo, mouse, treinamento zero, customização no máximo de cores, …) e o Emacs me fez aceitar novos (na verdade velhos, considerando a idade do Emacs) paradigmas, tais como “se esforce o possível para manter sua posição de digitação padrão”, “tudo que você deleta é copiado”, “buffers no lugar de abas”, “janelas & frames”. Apesar de eu ter aceitado vários dos conceitos do Emacs com o objetivo de alcançar um maior nível de produtividade, há elementos que simplesmente iriam me confundir quando eu alternasse para uma janela não-Emacs e não eram exclusividades que iriam melhorar minha produtividade. Logo, eu me mantive “conservador” em relação a alguns elementos:

Suporte para manter estilo/consistência

Mudanças que acabei fazendo nesse sentido:

Outras ajudas para programadores

Mudanças:

Meus truques

Além de configurar o Emacs, existe a forma como eu o uso, minhas funcionalidades favoritas. Algumas dessas funcionalidades são ligeiramente mais obscuras (não são bem conhecidas) e achei que seria legal documentar elas.

Pacotes extras

A lista de pacotes extras que eu tenho instalados é:

Fim

Acho que esse é o primeiro post no qual fiz uso pesado da ferramenta asciinema, desde a fase de planejamento. E para quem quiser como referência, o meu arquivo de configuração do Emacs. Façam um post sobre a ferramenta de vocês e postem aí nos comentários, para que eu talvez migre para um workflow melhor, após uma nova epifania.

Tags:,

5 responses to “Meu ambiente Emacs”

  1. Augusto Ícaro says :

    Vou fazer um artigo sobre o sublime no meu site, depois te passo o link.

    Eu até gosto do emacs, mas ele não se adequa a minha maneira de programar:/
    Eu gosto de algo mais intuitivo, poucos comandos e keybinds simples.

  2. SOMEONEUNKNOW says :

    Programação orientada a completar, nao tem isso no emacs >.<, e sem abas é foda tb

Comentários (with MarkDown support)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: